22 agosto, 2014

Sexta...

Adaptei a receita de hoje as modernidades que dispomos, funcionou.

Batata Rosti
Ingredientes:
6 batatas médias lavadas
1 cebola bem picada
Sal
Pimenta do reino branca moída
200 g de queijo Gruyère ralado
200 g de linguiça tipo Blumenau desmanchada
Azeite
Preparo:
Cozinhe as batatas dentro de um saco plástico (transparente e limpo), com dois furos feitos com a ponta de uma faca, no forno de microondas por 3 min.
Enquanto assam, prepare um recipiente (que caiba as batatas) com água, gelo e um pouco de álcool líquido.
Quando estiverem prontas, retire com cuidado, pois estarão muito quentes, remova o plástico e coloque no recipiente com água, assim contaremos o cozimento. Deixe descansar por 5 min.
Retire da água, seque e coloque no freezer ou no congelador, no freezer 10 min. bastam, no congelador deve ficar de 20 a 30 min.
Descasque-as e rale no ralo grosso, misture a cebola e tempere com sal e pimenta.
Enquanto as batatas descansam no freezer prepare a linguiça para o recheio, fritando-a ligeiramente em uma frigideira antiaderente com um fio de azeite.
Retire a linguiça deixando ao gordura líquida que se formou na frigideira.
Aqueça a frigideira e coloque uma camada de batata, cobrindo todo fundo.
Use o fogo baixo.
Quando começar a dourar distribua a linguiça e o queijo e tampe.
Espere o queijo começar a derreter, cubra com batatas e utilize um prato para virar.
Deixe dourar a “cobertura” de batata, está pronto.
Em uma frigideira média rende de três a quatro “batatas”
Experimente novos recheios, carne seca, camarão, bacalhau, vegetarianos, etc.


Bom final de semana.

20 agosto, 2014

Quarta...

Enquanto no mundo se criam avenidas e vias rápidas perimetrais projetadas para circulação em velocidades em torno de 80 Km/h, incluindo segurança para ciclistas e pedestres, aqui parte-se para uma solução paliativa, a famosa “tapar o Sol com a peneira”, reduzir a velocidade das avenidas e ruas de ligação (os famosos binários) para 50 Km/h, utilizam a justificativa óbvia de que isto reduz o impacto e consequentemente o estrago proporcionado pelo mesmo.
Sem investimentos em equipamentos controladores de velocidade de nada adianta reduzir ou aumentar velocidades, a lei já exige que a velocidade máxima em frente a escolas seja de 30 Km/h, os primeiros que não cumprem são os ônibus coletivos, aliás, nem sinalização há em frente às escolas.
Outros fatores importantes para mobilidade são ciclovias seguras, não ciclofaixas ao lado de canaletas de ônibus e calçadas acessíveis, largas, sem obstáculos, o que está longe da realidade.
É muito bonito buscar técnicos importados, incorpora status ao projeto, porém deixa uma pequena dúvida, eles conhecem nossa realidade? Ou, não temos “técnicos” competentes entre os 12 mil servidores públicos?

Mas como dizem, não sou engenheiro de mobilidade, não posso criticar.

19 agosto, 2014

Terça...

Hoje escreverei sobre dois Zeros que escutei ontem.
Apesar de não ser formado em economia sei fazer contas, escrevo isso por ter visto uma economista dizer que a inflação neste mês é praticamente zero, talvez nos dados fictícios governamentais sim, mas a realidade é bem diferente, mesmo com o preço dos combustíveis "congelados" pelo governo, os preços sobem mês a mês.
Sei que alguns produtos são sazonais, principalmente os Hortifruti, mas os industrializados não, e se alguém duvida é só começar a frequentar os supermercados.
Em outra entrevista assisti um candidato a governador de Santa Catarina afirmar que criará a tarifa zero no transporte coletivo criando uma rateio entre os usuários de outro modais (expressão minha), como por exemplo os usuários de automóveis, uma taxa baseada na COSIP, onde todos pagam pela iluminação pública, que até pode não ser justa, mas todos usam (menos em Joinville que é cobrada e a cidade está as escuras), ou seja, todos pagarmos por um serviço que nem todos usam. Isto me parece socialismo de quinta categoria. 
Sem bem que não há perigo, porque este não se elege.
Muitas teorias utópicas aparecerão durante este período de propaganda eleitoral gratuita (???), caberá ao eleitor ficar ligado e não cair no besteirol.

18 agosto, 2014

Segunda...

A saúde de Elliv Nioj vai “de vento em popa”, hospitais maravilhosos, não faltam médicos nem remédios, está tudo sobre controle, até uma tal “superbactéria” está controlada, com o números de casso aumentando e com duas  mortes confirmadas.
Querem enganar a quem?
Já no item mobilidade urbana vai melhor ainda, enquanto outros feudos próximos, muito menores falam em transportes de massa modernos e outras de mesmo porte investem em avenidas lagar e rápidas, para melhorar o fluxo, desviar o trânsito da região central, aqui se criam binários malucos, uma com via só de ida, criando o “monário”, troando o tráfego lento, talvez baseado em uma sugestão de uma consultoria, que solicita a diminuição da velocidade por segurança, embora os maiores problemas sejam a falta de sinalização, a falta de controladores de velocidade ou até de redutores.
É fácil transferir o ônus para a população, aliás como é prática recorrente.
Assim caminha a mediocridade...


Ps.: Hoje está difícil pesar, o resfriado está forte, mas só pensar...

15 agosto, 2014

Sexta...

A receita de hoje é com um produto que ainda é pouco utilizado no Brasil, saboroso e de preparo fácil, porém lento. Experimente, vale à pena.

Paleta de Cordeiro ao Molho 
Ingredientes:
1 Paleta de Cordeiro
Tomilho
Alecrim
15 g de Alho
5 g de pimenta do reino branca moída
Sal grosso
Vinho branco seco
Preparo:
Pique os produtos secos (alho, ervas) grosseiramente adicione o sal e a pimenta (a gosto), tempere a paleta e deixe marinhando por 24 h.
Asse em forno pré-aquecido a 180ºC durante 30 min. de cada lado.
Adicione o vinho branco e complete com água até que esta mistura liquida atinja a metade da altura da paleta, cubra com papel alumínio, devolva ao forno com a temperatura e, 160ºC.
Observe se há evaporação de liquido e adicione à medida que for preciso para que não resseque.
Asse por mais uma hora, em media, ou até que esteja macio.


Bom final de semana.

13 agosto, 2014

Quarta...

Estudei tanto e continuo estudando, mas não consigo entender esta lógica de permitir a falta de itens de higiene, permitir o sucateamento, desvalorizar o servidor, ou não realizar uma obra de pequeno porte com a desculpa de que está cuidando do dinheiro público e que é isso que gera descontentamento do oposição.
Primeiro deveria trocar a palavra oposição por população depois deixar as desculpas esfarrapadas e começar a trabalhar, ou melhor, exigir resultados reais, não projetos (eles existem?) para 2030.
Imaginem se aplicássemos este método de gestão em nossa casa, em prol de uma boa poupança para garantir a saúde financeira, não cuidássemos da manutenção, deixa o vazamento ai, é pequeno, a telha quebrada, deixa ela lá, papel higiênico? Para quê? Use jornal velho (claro).
Ou em nosso automóvel, não trocar o óleo, usar combustível de segunda, não trocar velas, não calibrar pneus, não realizar manutenção dos freios, tragédia anunciada, tudo isso para guardar dinheiro.
Sei que os exemplos são absurdos, que existem dívidas a serem saudadas, porém me parece que tudo é negociável, tudo é uma questão de gestão, ou melhor, administração, já que se trata do poder público, que infelizmente está só no papel, longe do mundo real.

Portanto, menos falação e mais ação, o tal prazo para adaptação já venceu faz tempo.

12 agosto, 2014

Terça...

Ontem mencionei a teoria do caos, explicando de uma maneira simples, a ideia central desta teoria é que uma pequenina mudança no início de um evento qualquer pode trazer conseqüências enormes e absolutamente desconhecidas no futuro. 
Por isso, tais eventos seriam praticamente imprevisíveis - caóticos, portanto. 
Exemplificarei com dois exemplos, vamos ao primeiro:
Alguém pensa ser muito experto e altera dados de um site qualquer sobre algumas pessoas para difamá-las, sem saber que a origem das postagens seria revelada virando o “feitiço contra o feiticeiro”, fazendo que se criem um festival de desculpas sem fundamento para justificar tal fato, ou seja, o caos.
Segundo:
Realizar alterações no trânsito de uma cidade sem planejamento ou um estudo prévio mínimo, invertendo fluxos, não sinalizando corretamente, não permitindo alternativas de trajeto, deixando o motorista perdido, pronto, o caos está formado.
Desta forma vemos como uma teoria sobre sistemas complexos e dinâmicos está muito mais presente em nossas vidas do que nossa vã filosofia pode imaginar.

11 agosto, 2014

Segunda...

Elliv Nioj tem o maior colégio eleitoral do Reino dos Manguezais, com capacidade de eleger até sete representantes legislativos, porém suas agremiações políticas não aprendem, a cada quatro anos lançam inúmeros candidatos que pulverizam os votos, elegendo as mesmas “figurinhas carimbadas” que pouco, ou nada, fazem pelo feudo.
Alguns nobres Edis que estão no primeiro mandato já pensam estarem aptos para a disputa deste peito, que os três mil votos transformar-se-ão, do dia para noite, em 30 mil, que, aliás, é pouco para conseguir ascender a tal cargo, talvez iludidos por “líderes”, por ego excessivo, de certo é que só olham para o próprio umbigo ignorando o bem comum.
Assim desperdiça-se a chance de aumentarmos o número de representantes, continuando a ser uma falsa força política, que só é lembrada em época eleitoral.
Este é um caso que nem o glorioso Chapolin do Mangue consegue defender.

Assim caminha a mediocridade.