28 abril, 2016

Intromissão...

Quinta...

Tem gente que pensa que é gato, porém isto é aceitável só nos gatos.
Em tempo, adoro gatos...

27 abril, 2016

Pingo sem is...

Terça...

Convocar eleição na iminência de um impeachment é o mais puro dos golpes, mesmo que o senado aprove a tal PEC, além de inconstitucional, constituição escrita por eles.

Vai haver impeachment, gostem os apaniguados petistas ou não, o vice assumirá, pode até ser impedido na seguir do processo, porém, a única maneira de haver nova eleição para presidente é se o TSE cassar a chapa Dilma/Temer este ano, o que já deveria ter feito, como não o fez, por ingerência do próprio governo, postergando para 2017, se cassar a eleição será indireta.

No caso o golpe está escancarado, a ideia do PT é convocar eleição presidencial para outubro com um mandato de dois anos e desta forma lançar o Lula (capo de tutti capi) candidato, só não enxerga a manobra quem não quer; aqueles que sofrem de cegueira seletiva.
Portanto, pressionemos para que o curso natural do processo ocorra, com ou sem impeachment, o Senado que decida.

E se a presidente já acordou, descobriu que não governa mais, que pare com o “mimimi” e peça pra sair, o que seria uma saída mais honrosa, se é que eles saibam o que isso significa.

Quanto a um possível novo governo, não se iludam, nada poderá fazer sem o apoio do Congresso, que, como sabemos, não venderá barato este apoio.

Assim caminha a mediocridade...

26 abril, 2016

Ineptos...

Terça...

Existe uma premissa em informática, daquelas derivadas das leis de Murphy, que afirma que se alguma coisa puder dar errado, dará no pior momento possível, ou, nada está tão ruim que não possa piorar que se aplica a Saúde em Joinville.

O Hospital Infantil está restringindo atendimento por falta de repasse de verba do governo estadual, a ponto dos salários dos médicos estarem atrasados, isto ultrapassa o limite do absurdo.
Enquanto isso os Centros Sociais, entidades que desenvolvem atividades de saúde preventiva, pois manter pessoas em atividades é uma delas, passam por crise semelhante, estão sem receber as verbas municipais.

Com ou sem aumento da arrecadação, Saúde e Educação devem ser prioridade de qualquer governo, sem exceção, até por serem essenciais ao desenvolvimento, pois cidadão saudável e culto produz mais e melhor, portanto, proporciona a produção de arrecadação.

A falta de investimento em Educação, algo já muito debatido por aqui, é útil aos governos, pois cidadãos instruídos não permitiriam, muito menos aceitariam as situações supracitadas, ou seja, ignorantes úteis.
Quanto à falta de investimento em Saúde é burrice, na acepção da palavra, pois há uma relação inversa em curso, quanto menos se investe mais se gasta, pois a falta de investimento em saúde preventiva cria overdose de casos na curativa, que também está sofrendo por falta de verba.

Ou seja, a população que se vire, pios está a mercê de governos ineptos, incompetentes e ineficazes.
Outubro vem ai, comecemos a passar o Brasil a limpo por nossas cidades, é fácil, é simples, é só querer e extremamente necessário.

Assim caminha a mediocridade...

25 abril, 2016

Inconvenientes...

Segunda...

O tempo passa e algumas coisas não se alteram em Elliv Nioj, a falta de visão comercial de muitos setores do feudo remonta ao século passado, ou melhor, ao milênio passado.
O feudo está aproximando-se dos 600 mil habitantes com uma estrutura do tempo que possuía 200 mil, não, hoje não me refiro ao transporte coletivo ou a (i)mobilidade urbana, mas ao que ocorre nos finais de semanas e nos feriados.

Comecemos pelos restaurantes, procure uma para almoçar em um domingo, não vale os dos shoppings e/ou os “self services” (os famosos bandejões), excluindo os de alguns hotéis, os demais estarão fechados, a mesma regra vale para os feriados.
Piora no jantar, ai vale para todos os dias da semana tente procurar um aberto após as 23h, vais comer sanduíche e olhe lá.

E o comércio? Acordos do milênio passado impedem que abram quando bem entenderem, pela lógica, se estou vendendo algo em um ponto fixo, preciso que os possíveis clientes venha até mim, portando devo estar aberto nos horários e dias que eles possam vir, o que está longe de acontecer.

Com a crise se avolumando torna-se fundamental estra com as portas abertas nos horários que a as pessoas estão disponíveis, os grandes magazines já descobriram isso.
Como sei que nada vai mudar, está enraizado na cultura comercial feudal, para por aqui, pois sei que é “chover no molhado”, ou não?

Assim caminha a mediocridade...

PS.: Não existe uma cidade assim, só na vaga imaginação deste que vos escreve.

22 abril, 2016

Sexta...

Há duas sextas atrás publiquei a receita de uma versão de frango assado fazendo menção aos almoços de domingo da “mama”, “oggi abbiamo una pasta per accompagnarlo.”

Tagliatelle com aspargos e presunto
Ingredientes:
500 g de tagliatelle
1 ramo de aspargos verdes frescos
300 g de presunto em lascas
50 g Parmesão em lascas
1 ramo de sálvia
2 dentes de alho picado
Sal
Pimenta do reino moída
Azeite
Preparação:
Cozinhe o macarrão em água temperada com sal, pimenta e um fio de azeite conforme o tempo da embalagem.
Prepare os aspargos, cortar as pontas mais grossas e lenhificadas. Salteá-los em azeite.
Quando estiverem mais moles, adicione a sálvia, o alho picado, o presunto e tempere com sal e pimenta, salteie até estarem no ponto.

Servir a massa com os aspargos, presunto e raspas de parmesão.

Bom final de semana.

20 abril, 2016

Pingos sem is...

Quarta...

Para fazer jus ao nome do blog vamos a mais uma polêmica, principalmente após o show de horrores proporcionado pelos nobres deputados na votação pela aceitação do processo de impeachment.
Precisamos de uma reforma política urgente, abrangente, que crie regras e limites, não só para evitar a criação de partidos sem a mínima ideologia, mas, principalmente, para os postulantes a cargos públicos.

A primeira delas, fazer valer o projeto Ficha Limpa, inclusive ampliando-o, não poderá concorrer quem estiver sendo investigado por corrupção e/ou processos cíveis, já limitaria muito.
Criar idades mínimas para a ocupação de alguns cargos, principalmente os legislativos, que são os cargos que constitucionalmente mandam na cidade, no estado e no país.
Por exemplo, para vereador 21 anos, deputados (estadual ou federal) 30 anos, senado 45 anos, desta forma se exigira um mínimo de experiência de vida para a ocupação do referido cargo.

Assim como vincular níveis acadêmicos para os mesmos, no mínimo ensino médio completo, quando o ideal seria nível superior, não que isto garanta um nível muito alto, pois na última vimos um deputado de alto grau universitário cuspindo em outro, uma demonstração de falta de educação e descontrole incrível.
E não venham com as desculpas esfarrapadas de que quem vota pode ser eleito, isto é um sofisma tolo.

Outra medida interessante seria, como fazem alguns colégios e algumas universidades, criar um curso interno das referidas casas de nivelamento de português e matemática básica, desta forma, talvez, o nível dos discursos melhores, os esses voltem a fazer parte do plural das palavras e a utilização da colocação pronominal evite o “se chama-se”.

E antes que perguntem o porquê da matemática, a resposta é simples, para desenvolver o raciocínio lógico, pois sem ele não conseguimos estruturar um texto, com ele evitamos aqueles emaranhados de falas desconexas proferidas na votação. Simples assim.

Assim caminha a mediocridade...

19 abril, 2016

Decoro, ou a falta dele...

Terça...

Que a sessão da Câmara Federal do último dia 17 foi um show de horrores não há dúvidas, a falta de educação, a incapacidade de raciocínio lógico, o destempero, a assassinato a língua portuguesa, o crime a honra, etc., tornaram-se lugar comum, uma vergonha em rede nacional.

Pudemos comprovar ao vivo e em cores a péssima qualidade do nosso Congresso, alguns deputados não conseguem articular uma fala de 30 segundo sem ler, isto que a maioria não votava por si, votava pela família, partido, porque A ou B pediu, e afins, ou seja, não tem opinião, a famosa vaquinha de presépio; e isto vale para os dois lados.

Pior os que se abstém, covarde que não defendem sua convicção, não enfrentam, ao contrário do presidente do PR, que enfrentou o partido, renuncio e votou sim.
O que menos importa é a posição, se fosse ao contrário também seria exemplo, teve coragem de defender o que pensa, se o partido não concordar azar do partido.
Assim como ele houveram outros(as), que, provavelmente, serão punidos pelos partidos.

Muitos alegaram sobre a tal fidelidade partidária, tudo bem, mas pergunto, que fidelidade? Pois a maioria deles estava “mamando” no governo até ontem, mudam a ideologia do dia para a noite e exigem fidelidade.
Na melhor linha do não tente entender, apenas aceite.

Já os partidos da situação (PT, PCdoB, PSOL...) precisam entender, que no berro, na alta de educação, no desrespeito não se chaga a lugar algum, só arrebata antipatia, os trona distantes do eleitor de bem.
De nada adianta vociferar “aluta continua”, “a luta está apenas começando”, “não aceitaremos”, etc., não nos amedrontam, apenas criam um clima beligerante desnecessário.

Como já escrevi, sabem perder é uma arte que poucos dominam, pois é melhor perder com honra e aceitar do que sofrer buscando desculpas quimeras, que satisfazem o ego, mas afastam a realidade.


Assim caminha a mediocridade...

18 abril, 2016

Elliv Nioj

Segunda...

Se existe algo para os habitantes de Elliv Nioj se orgulharem e a Educação, entra alcaide, sai alcaide, ela continua entre as melhores do reino.
Bem estruturada, com profissionais de bom nível, vem resistindo às sandices governamentais.

A mais recente diz respeito ao corte da verba para a compra de uniformes escolares com a alegação de que os estudantes já o possuem, portanto não precisam, só os novos alunos e/os que tenham crescido.
Como se pré-adolescentes não crescessem como mato em clima quente e úmido.

Que esta administração não acerta uma não é novidade, agora economizar em Saúde e Educação é burrice extrema.
Gostem ou não, aplicar em Educação Básica é fundamental o desenvolvimento do feudo, do estado do reino, resolve, inclusive, muitos problemas de saúde que nascem da falta de higiene, que embora deva ser ensinada em casa acabe sobrando para a escola.

Povo estudado aprende a pensar, analisar, decidir, algo que não é bom para alguns governantes, aliás, para a maioria deles.

Assim caminha a mediocridade...

PS.: Esta é uma obra de ficção, qualquer semelhança com a vida real será mera coincidência. Ou não?

15 abril, 2016

Sexta...

A receita de hoje é cremosa, ligeiramente picante e leva um ingrediente tipicamente nacional.

Camarão ao curry e alho poró
Ingredientes:
1 kg de camarão médio
1 colher de sopa de suco de limão
Sal a gosto
2 colheres de sopa de azeite
1 alho poró  picado
1 dente de alho picado
50 ml de cachaça
1 colher de sopa de curry em pó 
½ xícara de caldo de camarão caseiro 
Pimenta vermelha a gosto
100 g de creme de leite
Amido de milho (se necessário) 
Preparo:
Limpe o camarão e reserve as cascas.
Tempere o camarão com sal e o suco de limão. 
Refogue o alho poró no azeite até ficar macio. 
Acrescente os camarões e refogue rapidamente até que fiquem rosados.
Acrescente a cachaça e em fogo alto e flambe.
Junte o curry em pó, a pimenta vermelha e o caldo de camarão.
Deixe ferver, adicione o creme de leite, misture bem, verifique a cremosidade, se necessário engrosse com um pouquinho de amido de milho.
Sirva com arroz branco.

Caldo de camarão caseiro
Ingredientes:
Cascas e cabeças de um quilo de camarão
1 colher de sopa de óleo
½ cenoura pequena picadinha
1 talo de alho poró
1 pedaço de aipo
½ cebola pequena em lascas
500 ml de água
Preparo:
Refogue os legumes no óleo, acrescente as cascas e cabeças e refogue até ficarem rosadas. 
Junte a água e deixe ferver. 
Cozinhe em fogo bem baixo por 30 minutos, coe e utilize.

Bom final de semana.