31 julho, 2015


Sexta...

Cozinhar é simples, eis uma receita fácil que deixará sua refeição com estilo, ainda mais se acompanhada de um bom vinho.


Talharim com ragu de linguiça
Ingredientes:
500 g de talharim
600 g de linguiça fresca de pernil
3 colheres de sopa de azeite
250 ml de polpa de tomate
5 tomates maduros picados
1 cebola roxa picada (brunoise)
250 ml de água
1 cenoura cortada em pedaços
Sal e pimenta a gosto
Folhas de louro para decorar 
Preparo:
Retire a pele e m um prato esmigalhe a linguiça.
Numa panela grande, aqueça o azeite e refogue a linguiça e a cebola, em fogo alto, por dez minutos ou até dourar. 
Acrescente a popa, o tomate, a água, a cenoura, sal e pimenta e cozinhe em fogo médio, com a panela semiaberta, e mexendo às vezes, por 25 minutos ou até o molho ficar encorpado.
Em outra panela grande, com bastante água fervente temperada com sal, cozinhe o talharim até ficar al dente.
Escorra e sirva com o molho, decorado com folhas de louro. 

Cortes de cebola: 

 
Bom final de semana.

30 julho, 2015

Quinta...

Tenho a impressão que já devem ter visto isto em algum lugar.

28 julho, 2015

Buracos

Terça...  

Assistindo o Bom Dia Brasil, quando se está de férias da tempo, uma matéria chamou-me a atenção.  
Uma determinada cidade passou a batizar os buracos das ruas, se a moda pega em Joinville faltariam nomes para tantos buracos. Isto não é de hoje e a solução parece ainda mais distantes.  
O tipo de asfalto utilizado aqui é o a frio, que talvez não seja o ideal,  porém se a manutenção (sempre ela) for realizada de maneira correta e frequente, mesmo com nosso alto índice pluviométrico,  resistirá bem.  
Só  administração Carlito (acreditem) tapava os buracos de maneira correta, ou próxima dela, recortava o asfalto retangulamente, aumentando a largura e, consequentemente,  a aderência.
Hoje retornou a velha tática de usar uma mistura de piche e brita, jogar sobre o buraco,  compactar e pronto. Vem a primeira chuva, o tráfego pesado e eis o buraco ali novamente,  firme e forte. Quem adora são os borracheiros e os mecânicos.

Assim caminha a mediocridade...

27 julho, 2015

Segunda...

Os ellivianos estão muito preocupados com a escalada da violência no feudo, muito tem se falado e pouco se feito para a contenção da mesma, balas perdias, ou melhor, achadas, roubos, assaltos, e por ai vai.
A verdade é que organizado é só o crime, a polícia prende o magistrado solta.
Agora querem trocar o chefe da polícia, quando se sabe que o problema real é a falta e efetivo, ou seja, "tapar o sol com a peneira", como no velho oeste, troca-se o xerife pelo "Bati Mais Terson" e os bandidos tremem, doce ilusão, ledo engano.
Já chegaram ao cúmulo de sugerir que não utilizemos aparelhos móveis em público, poi ele pode ser roubado.
Esta é a polícia o feudo, ainda bem, que ela é virtual.
Assim caminha a mediocridade...

24 julho, 2015

Sexta...

Descobrimos este ingrediente a pouco tempo, pena, já devíamos tê-lo conhecido antes.

Couscuz Marroquino com legumes e camarões
Ingredientes:
300 gramas de cuscuz marroquino (sêmola de grão duro)
300 ml de caldo de legumes quente
2 colheres de sopa da manteiga
1/2 cebola picada em cubinhos pequenos
1 dente de alho bem picado
2 cenouras picadas em cubinhos pequenos
1 berinjela picada em cubinhos pequenos
2 abobrinhas picadas em cubinhos pequenos
1 pimenta dedo-de-moça picada em cubinhos pequenos
1 lata pequena de ervilhas
250 gramas de camarões
1 pepino picado em cubinhos bem pequenos
sal a gosto
azeite a gosto
Preparo:
Aqueça o caldo de legumes e misture ao cuscuz marroquino para hidratar.
Mexa bem com um garfo para deixar soltinho e não formar grumos. Reserve.
Aqueça uma panela com água e deixe ferver.
Quando começar a ferver, coloque os camarões.
Deixe ficar por 2 minutos, retire da água e reserve (branquear).
Leve uma frigideira grande ao fogo, coloque a manteiga e deixe derreter.
Acrescente a cebola e o alho e deixe murchar.
Coloque então a cenoura e deixe por uns 3 a 4 minutos.
Acrescente a berinjela, a abobrinha e a pimenta.
Deixe refogar por alguns minutos até que fiquem cozidos, mas não molengas.
Coloque os camarões, tempere com sal e misture bem.
Deixe mais uns 2 minutos e desligue o fogo.
Misture o refogado de legumes e camarão com o cuscuz, acrescente as ervilhas e o pepino.
Acerte o sal e regue com um fio de azeite.
É só servir.

Bom final de semana.

23 julho, 2015

Quinta...

Está é da série "Não tá fácil pra ninguém...."


22 julho, 2015

Quarta...

Alguns dirigentes de equipes futebolísticas esquecem, ou desconhecem, que os clubes devem ser geridos como uma empresa,  sendo que,  isso não se limita ao financeiro e/ou a manutenção dos bens.
Neste caso é o RH é muito importante, explico.
Se uma empresa deseja subir no patamar econômico deve abastecer seu quadro funcional com profissionais de primeira linha, que elevem a qualidade do quadro funcional.
A mesma analogia se faz ao futebol,  se a equipe está na Série A precisa de  jogadores que venham para "resolver, talvez algumas apostas, não adianta rechear o elenco com jogadores VQC (vai que da certo), jogadores parados, jogadores que há um ano jogou bem em um time da Série B, etc.
O gestores dirão que é questão econômica,  jogadores bons são caros,  pois bem, vamos a uma conta simples,  se o time  possui 11 atacantes recebendo uma média de 40 mil reais,  dispensando 5, ainda sobram 6 (alguns confundem quantidade com qualidade), e pode-se contratar um com o salário de 200 mil reais,  que, convenhamos,  deverá ser melhor que os 5 dispensados e ou 6 que permaneceram.
Mas para isso acontecer precisa pensar, e pensar não é característica marcante pelo o que temos notado.
Assim caminha a mediocridade...

21 julho, 2015

Terça...   

Ontem fomos nos recadastrar no TRE/SC, apesar das inúmeras pessoas, o atendimento foi relativamente rápido e de ótima qualidade,  a biometria torna a votação mais segura,  não resta dúvida,  o que ajuda a evitar fraudes na hora de votar. 
É um processo oneroso, que, a princípio,  de causar lentidão, pois depende da velocidade do servidor para a conferência datiloscópica. 
Porém fica uma dúvida,  não seria melhor investir na transparência da apuração,  em urnas com comprovantes de votos para uma possível conferência manual em caso de dúvidas. Como vimos na última eleição,  não há interesse nesta transparência,  quanto mais nebuloso melhor,ajuda na permanência no poder. 
Só para variar,  soluções paliativas para problemas simples,  porém sem o desejo da solução. 
Assim caminha a mediocridade...

20 julho, 2015

Segunda...   

Elliv Nioj tem enfrentado administrações pífias, decisões são tomadas sem a menor consideração ao que desejam os ellivianos, se bem que isto não é exclusividade nossa, justificam afirmando que realizaram pesquisas que afirmam que 95% da população concorda,  quem eles pensam que enganam. 
Sabemos que pesquisas são facilmente manipuláveis. Como a região do feudo possui alto índice pluviométrico,  grande parte dos aldeões possuem charretes, que são carrocinhas com cobertura retrátil (conversível), existem modelos para 2 e 5 pessoas,  rápida,  econômica (possui só um cavalo). 
Como o serviço da bondes é caro, desconfortável, os aldeões preferem asx charretes o problema é que a atual administração não consegue reativar os estábulos rotativos,  desta forma os ellivianos precisam ficar rodando pelas vielas em busca de uma vaga.
Claro que a culpa não se restringe ao alcaide,  muitos ellivianos não possuem senso comunitário,  deixam, ou melhor, abandonam suas charretes nas melhores vagas "estabulares", muitos inclusive em frente ao seu estabelecimento comercial.   

Assim caminha a mediocridade.

17 julho, 2015

Sexta...

Hoje temos uma receita com fraldinha (vazio para os gaúchos) diferente do tradicional churrasco, utilizando um tempero tradicional na Argentina e no Uruguai.

Fraldinha Recheada ao Chimichuri
Ingredientes:
1 fraldinha limpa de aproximadamente 1 kg
400 g de linguiça fresca s/ a tripa (calabresa ou toscana)
Mussarela de búfala
250 ml de vinho (cabernet sauvignon)
4 colheres de sopa de azeite
20 g de alho picado
Sal a gosto
Azeitonas verdes recheadas
Chimichuri
Barbante
Preparo:
Abra a Fraldinha no sentido do comprimento, se necessário retire a gordura e a pele, salgar com pouco sal, acrescente o copo de vinho, o alho e o chimichuri.
Tire toda a tripa da linguiça, e a distribua, juntamente com a mussarela e as azeitonas, sobre a carne, no sentido do comprimento.
Acrescente mais chimichuri sobre recheio.
Acrescente sal a gosto.
Enrole a fraldinha, fazendo com que o recheio não saia pelas bordas.
Amarre com barbante.
Deixe marinando de 02 a 03 horas na refrigeração.
Coloque na assadeira, regue com azeite, polvilhe mais um pouco de chimichuri e cubra com papel alumínio.
Deixe assar (200ºC) por aproximadamente 40 minutos.
Retire o papel alumino e doure mais 10 minutos.
Pronto, é só servir acompanhada de salada verde, arroz e batata (souté ou frita).

Bom final de semana.