01 abril, 2015

Quarta...

Constituição Brasileira:
Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil:
I - construir uma sociedade livre, justa e solidária;
II - garantir o desenvolvimento nacional;
 III - erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais;
IV - promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.

E ainda existem pessoas que afirmam que as Cotas para as universidades públicas são legais. Por que não defendem, com a mesma veemência, a melhora do ensino público? Simples.
Sempre será mais fácil “tapar o Sol com a peneira” e usar o discurso dos "coitadinhos excluídos".
Assim caminha a mediocridade...

31 março, 2015

Terça...

Ilusão - Engano dos sentidos ou pensamento. - O que se nos afigura ser o que não é. - Quimera. - Esperança irrealizável.
Esta definição retirada do “Aurélio” reflete o estado mental dos nossos amigos petistas, vivem no país das propagandas, insistem na premissa de terem retirados 36 milhões de brasileiros da extrema pobreza, o que até tem um fundo de verdade, embora exista muita maquiagem nestes dados.
Porém a ilusão maior é de que qualquer tentativa de remover a presidente é golpe, pois ela foi eleita por maioria dos votos, em uma eleição legitima, sim é verdade, mas longe de ser honesta.
Insistem na tese do terceiro turno, como se corrupção, mentiras, improbidade, fossem direito de quem estiver eleito, pode fazer o que quiser, pois foi eleito democraticamente.
Ledo engano; pode ser cassado sim, legalmente e constitucionalmente, sem qualquer semelhança a um golpe.

Está na hora de acordarem, viver a realidade, o País merece.

30 março, 2015

Segunda...

Elliv Nioj aguarda ansiosamente que a administração do feudo acorde da letargia que mais parece o sono eterno, obras não “andam”, isto quando saem do papel, ficam em um “jogo de empurra” entre os 3 níveis de governo, um acusado o outro de não ter cumprido sua parte, o que não deixa de ter um fundo de verdade.
A obra da vez é a duplicação de uma grande via que interliga modais de transportes, enquanto discutem quem paga o quê, a obra segue parada, pior, realizaram mudanças viárias pela metade, piorando o que já não era bom.
Não outra ponta, contrária a administração pública, empresários locais se mobilizaram e conseguiram uma troca, impostos futuros por obras, o Governador feudal aceitou, e outra via importante será duplicada, aposto que no prazo, pois não dependerá da inoperância da administração feudal.

Assim caminha a mediocridade...

27 março, 2015

Sexta...

Nossa receita de hoje é tradicional, baseada na cozinha portuguesa e uma boa sugestão para o almoço da sexta-feira santa, se pesquisarem no blog encontrarão mais algumas sugestões com o bacalhau, de bolinho ao tradicionalíssimo Gomes de Sá.

Bacalhau com Natas
Ingredientes:
500 g de postas de bacalhau demolhadas
6 batatas médias
500 ml de leite
200 g de nata
Noz moscada
Sal
1 cebola grande
Azeite extravirgem
Parmesão ralado
2 colheres de sopa de farinha de trigo
Preparo:
Pré-aquecer o forno a 180ºC.
Comece cozinhando as postas de bacalhau no leite.
Corte a cebola em rodelas bem fininhas e refogue-as em azeite até ficarem moles e translúcidas. 
Escorra o bacalhau, desfaça-o em lascas e junte-o à cebola, deixando refogar lentamente. 
Polvilhe com  a farinha e regue com o leite coado que serviu para a cozedura do bacalhau.
Deixe engrossar, mexendo de vez em quando.
Descasque as batatas, corte-as em cubos e frite em óleo não muito quente, de modo a deixá-las mais cozidas que fritas.
Escorra as batatas e junte-as ao bacalhau.
Tempere com um pouco de sal e noz moscada moída.
Coloque tudo em uma assadeira, cubra com a nata e polvilhe queijo ralado.
Leve ao forno até gratinar.
PS.: para dar um toque especial, acrescente azeitonas (verdes ou pretas) fatiadas.


Bom final de semana.

25 março, 2015

Quarta...

Hoje o assunto é educação, ontem o senado rejeitou a PEC que estendia o para o Ensino Médio da rede particular de ensino, vi que várias pessoas comemoraram, deve pensar que o ensino no país vive em um mundo ideal.
Basear-me-ei no Ensino Médio local, porém creio não ser diferente nos demais estados.
Por constituição o Ensino Básico público fica a cargo do poder municipal e o Ensino Médio do poder estadual, o Básico municipal aqui em Joinville vai muito bem, inclusive é exemplo nacional, claro que não é perfeito, até porque nenhum o é, mas o Médio estadual é precário, ainda mais agora com as tais cotas, que literalmente nivelam por baixo.
Sem assim, muitos procuram as escolas particulares, buscam bolsa de estudo, descontos comerciais, com as escolas não podem aceitar, ou melhor, ajudar a todos, poucos são beneficiados.
A ampliação do FIES traria um aumento de oportunidade de um ensino de qualidade para estes alunos, o que diminuiria a necessidade de cotas, claro que por serem menores de idade os pais e ou responsáveis assumiriam o financiamento.

Lógico que seria uma solução paliativa, pois o correto é investir na melhora dos três níveis do ensino público, o que, no momento, é utopia na tal Pátria Educadora, uma boa ideia que não sairá do papel, aliás, mais uma.

24 março, 2015

Terça...

Já escrevi sobre isso, mas não custa voltar ao tema, já que a solução não aparece, nem está perto de aparecer.
Li no jornal (sim, leio jornal de papel) que Joinville tem empregos, de certa forma, sobrando, do outro lado da equação vemos o desemprego aumentar, ou seja, há algo errado nesta equação, que não é exclusividade de Joinville.
Sabemos que os mais jovens (geração y), com raras exceções, não estão dispostos a assumir funções de baixo padrão, preferem o serviço de “escritório”, ou do comércio, o que é direito deles.
Porém ai que a equação desanda, além do Ensino Médio, a maioria dos cargos pedem algo mais, que só vem com o estudo, seja comercial ou técnico, traduzindo, a preparação para o mercado de trabalho.
Por exemplo, conhecimento em informática básica tornou-se essencial, e não é saber usar facebook e afins, se for trabalhar com vendas, conhecimento de técnicas e vendas e relações humanas ajudam muito, e assim por diante.
O Governo Federal criou o PRONATEC, que, admitamos, é um bom programa, visando diminuir este “vácuo”’, que precisa ser ampliado e de algumas mudanças, pois cada cidade tem sua característica de necessidade de mão de obra, assim os cursos locais devem ser voltados para estas necessidades, de nada adianta curso técnico de mecânica e um mercado tipicamente fabril, ou de química em um mercado metal-mecânico.

São pequenos ajustes, fáceis de fazer, mas precisa vontade e comprometimento, deixando de lado a politicagem. Mas ia fica difícil...

23 março, 2015

Segunda...

Elliv Nioj tem uma característica interessante, que parece estar esquecida por todos, pois a maioria das soluções propostas para prevenção de enchentes e alagamentos não contemplam o avanço do mar.
O feudo foi construído, basicamente, em áreas alagadas de manguezais, tendo grande parta central aterrada, originalmente aquelas áreas estavam 4 m abaixo do nível do mar, sendo recortada por rios e afluentes, o que deixa a área propicia às variações da maré.
Lembro que na época da adolescência ficávamos sentados nos degraus de escada de entrada da casa de um amigo observando a água do mar subindo pelos bueiros, trazendo, além da salinidade o cheiro “agradável do rio Cataratas”, que se repararem, em determinadas horas do dia, corre do mar para terra e não da terra para o mar.
Pior é quando coincide alto índice pluviométrico com a maré alta, além de não haver fluidez devido à maré, o isolamento do solo ajuda na retenção da água, resultando em alagamentos com certa salinidade na água, nossa saúde e as latarias dos automóveis agradecem.
Portanto, torna-se urgente a dragagem do rio Cataratas, o assoreamento passa dos 10 m, creio que isto ajudaria muita mais que os milhões gastos em “piscinões” subterrâneos, que, aliás, fazem parte das inúmeras obras paradas e/ou inacabadas no feudo.

Assim caminha a mediocridade...

20 março, 2015

Sexta...

Sabem o bom e velho bolinho de carne, quando vestido a caráter é chamado de almôndega, sendo assim, hoje temos uma maneira de deixa-lo, como dizia minha avó, garboso.

Almôndegas com bacon e legumes salteados
Ingredientes:
750 g de carne de moída de 1ª
150 g de bacon fatiado
1 cebola picada
2 gemas
60 g de manteiga
4 batatas
4 cenouras
100 g de ervilhas
3 dentes de alho picados
100 ml de vinho branco seco
1 raminho de orégano
Sal e pimenta
Preparo:
Tempere a carne, acrescente as gemas e a cebola picada; misture bem.
Depois de bem misturado, molde bolas e rodeie cada uma com uma fatia de bacon, prenda com palitos e reserve.
Descasque e corte as cenouras em rodelas, descasque as batatas e corte-as em cubos, coloque em uma panela, cobrindo com água e cozinhe até ficar ao dente, escorra, acrescente as ervilhas e reserve.
Em uma frigideira alta em fogo médio, derreta a 40 g manteiga, acrescente um dente de alho picado e frite as almôndegas; deixe-as corar lentamente.
Junte o orégano, os legumes e o vinho branco, cozinhe lentamente.
No final retifique os temperos e reserve.
O restante alho refogue na manteiga restante.
Sirva salpicando o alho restante por cima.


Bom final de semana.

19 março, 2015

Quinta...

Como diz um velho ditado: "Quando a esmola é demais o santo desconfia."