24 maio, 2016

Pipocada...

Terça...

Embora já tenha discorrido por estas parcas linhas sobre não acreditar em medidas “salvadoras” imediatas, muito menos pelo novo governo provisório, que permanecerá assim até o final do processo de impeachment, esperava mais.

Aliás, não tem sido nada auspicioso, longe disso, comecemos pela montagem dos ministérios, recheado de “notáveis” indiciados, embora reduzido, segui a velha máxima política do é dando que se recebe.
Que é melhor o que estava não resta, até porque não seria difícil ser, mas denota-se falta de atitude, de força.

O exemplo mais recente disto é a criação ou recriação do MinC (Ministério da Cultura), que durante anos teve a grande missão de abrigar apaniguados e favorecer as hordes artísticas bolivarianas.
Ou seja, não aplicou a lei contra arruaceiros, cedeu às suas exigências. Vergonhoso.

Pois bem, como mal feito, feito está, que se realize uma grande auditoria, que todos que receberam dinheiro (fortunas em renúncias fiscais) e não usaram a totalidade dos recursos aos fins destinados que seja abrigados a ressarcir o erário com risco de prisão no caso de não cumprimento.
Simples assim...

Assim caminha a mediocridade...

23 maio, 2016

Inépcia..

Segunda...

O ocaso administrativo que está reinando em nosso feudo é resultado da inépcia dos dois últimos alcaides, crimes de responsabilidade fiscal acontecem com uma frequência avassaladora, com nunca na história deste jovem feudo.
Tornou-se rotina não repassar os recursos obrigatórios legalmente, por exemplo, não depositaram o valor referente a previdência social dos servidores, como se já não bastasse as várias negociações, ou melhor, os acordos a longos prazos das dívidas anteriores.

Caso isso ocorra na iniciativa privada as consequências são duras, ao ponto de poder causar a detenção do principal responsável da empresa.
Portanto, dois pesos e duas medidas, ou a total falta de oposição.

Enquanto isso o IPPUE demonstra sua lógica de mobilidade urbana, modifica todo o trânsito para privilegiar o acesso a um novo empreendimento comercial e não permite estas alterações em frente ao acesso às Escolas, afinal escola só tem aluno, aluno não gera impostos, assim sendo não precisa de proteção.

Assim caminha a mediocridade...

P.S: Esta é uma obra de ficção, qualquer semelhança com a vida real será mera coincidência.

20 maio, 2016

Mangia che te fa bene...

Sexta...

Como nem só de carne vive o homem, temos uma receita vegetariana, que, claro, pode ser acompanhada de um belo assado.

Macarrão cremoso com vagem e amendoim
Ingredientes:
500 gramas de macarrão curto (penne, fusilli, gnochetti)
1 cebola picada
50 ml de azeite de oliva
500 gramas de vagem cortada em pedaços de 3 cm
200 g de iogurte natural
1 colher de sopa de mostarda
500 ml de creme de leite fresco
Suco de ½ limão Taiti
100 gramas de amendoim sem casca, torrado e picado
1 colher de sopa de casca de limão ralada
Sal a gosto
Pimenta do reino a gosto
Preparo:
Refogue a cebola no azeite até ficar macia.
Junte a vagem e tampe a panela, mexendo de vez em quando, durante aproximadamente 15 minutos. Reserve.
Em um recipiente misture o iogurte, a mostarda, o creme de leite, o suco de limão e a pimenta do reino.
Adicione a vagem cozida e misture bem.
Cozinhe a massa (de acordo com a embalagem) até que fique "al dente".
Misture ao molho de iogurte, acrescente o amendoim e a casca de limão, misture e sirva em seguida.


Bom final de semana.

18 maio, 2016

Pingos sem is..

Quarta...

Vivemos uma situação que não havia acontecido na história do Brasil, um Presidente em exercício, ou seja, o Temer está presidente, mas ainda não o é.
Isto causa uma situação interessante, por mais que o Presidente deseje tomar decisões estratégicas, principalmente nas áreas econômica e trabalhista, trabalhará com o freio de mão puxado, pois, embora a chance seja mínima, o quadro pode ser revertido, para infortúnio geral da nação.
Além de gerar um custo absurdo a nação, pois continuamos sustentando com mordomias descabidas a presidente afastada.

Portanto, fica-se na dependência do processo final do Senado, que tem até setembro para a tomada de decisão, que para o bem do país deve ser tomada com a celeridade possível, sem pular nenhuma fase, porém exercendo-as no menor tempo possível, mesmo com os “lulopetistas” promovendo ações de procrastinação.

Assim sendo, nada está resolvido, devemos ficar alerta aos próximos movimentos, pois são ardilosos e não estão dispostos a “largar o osso”, farão de tudo para tumultuar e plantar mentiras e calúnias, pois é o que fizeram em 13anos no poder.


Assim caminha a mediocridade...

17 maio, 2016

EIV...

Terça...

Existe um instrumento urbano derivado do Estatuto das Cidades que é o EIV (estudo de Impacto de Vizinhança), que tem por finalidade contemplar os efeitos do empreendimento ou atividade quanto à qualidade de vida da população residente na área e suas proximidades.

É um instrumento que visa atenuar os conflitos de uso e ocupação do solo, criando uma possibilidade de intermediação entre os interesses dos empreendedores urbanos e a população diretamente impactada, de modo a resguardar à qualidade de vida da comunidade.

Porém, a aplicação desse instrumento não é automática, é necessária uma lei municipal que determine os critérios para a sua aplicação e os empreendimentos passíveis de sua aplicação.
Já está regulamentado em Joinville sendo exigido em diversas obras, o que não está errado.

Trago uma sugestão de aplicação deste estudo em obras viárias, principalmente nas alterações drásticas, como a que ocorreu em frente ao Mercado Municipal, uma mudança “tosca” que alterou a mobilidade, e porque não dizer, a vida, de inúmeros moradores da região, sem esquecermo-nos do prejuízo ao aceso do próprio Mercado.

Portanto, deixo aqui a sugestão aos nobres Edis locais que serve para qualquer cidade, criem uma lei exigindo EIV das alterações de trânsito do IPPJ, que são feitas a bel prazer, sem nem uma audiência pública ao menos, demonstrando o total desinteresse pela população, tudo em pró de um pseudo transporte público, que de público não tem nada, pois nem licitação de concessão é feita, além de ser caro, ineficaz, ineficiente e ultrapassado.


Assim caminha a mediocridade...

16 maio, 2016

PDCA...

Segunda...

Existe uma lógica em planejamento, se necessitamos utilizar desvios, atalhos e afins para chegarmos ao objetivo algo está errado, aliás, muito errado.

Em Elliv Nioj não é diferente, planejamento equivocados, ou melhor, mal elaborados, feitos no “achismo”, fazem parte da rotina da atual administração feudal, sem esquecermos que muitos seguem incompletos, nestes casos por falta de planejamento financeiro.

O exemplo de se destaca aos olhos elivinenses é o do trânsito, embora eu não acredite que exista planejamento nesta aérea.
A maioria dos projetos feudais não segue o método PDCA (Plan-Do-Check-Adjust), ou seja, planejar, executar, checar, corrigir, a última ação não ocorre, nem é admitida, segue errado e pronto, pois no ponto de vista deles está correto.

E, como temos notado, avalizado pelo alcaide, de tal forma que o caos urbano está instalando-se e não é sequer admitido pela administração feudal.
Sendo que para bom entendedor meia palavra basta, este ano tem eleição.

Assim caminha a mediocridade...


P.S.: Esta é uma obra de ficção, qualquer semelhança será mera coincidência.

13 maio, 2016

Sexta...

A versatilidade da carne de porco é bem conhecida, principalmente aliada a frutas, como na receita que estamos a sugerir.

Lombo de porco com damasco

Ingredientes:
1 lombo de porco de aproximadamente 500 g
1 talo de salsão picado
1 cebola fatiada
1 cenoura picada
2 xícaras de caldo de legumes
Sal
Pimenta do reino moída
100 g de damasco picado
2 colheres de sopa de manteiga
1 colher de sopa de azeite
3 colheres de sopa de requeijão cremoso
Flor do sal com manjericão
Preparo:
Prepare uma marinada com salsão, cebola cenoura e caldo de legumes.
Tempere o lombo com sal e pimenta e coloque-o para marinar por 2 horas.
Em uma frigideira derreta a manteiga com o azeite e acrescente os damascos. Cozinhe por 5 minutos. Desligue e reserve.
Retire o lombo da marinada, coloque em uma forma e cubra com papel alumínio.
Leve ao forno preaquecido a 180 graus por 30 minutos.
Retire o papel, pincele com a manteiga dos damascos e volte ao forno por mais 30 minutos.
Espere esfriar um pouco e corte em cubos médios.
Misture aos damascos e volte ao forno por mais 10 minutos.
Retire o lombo da forma e acrescente o requeijão.
Misture bem para adquira todo sabor que ficou do assado.
Sirva com uma pitada de flor do sal com manjericão.

Bom final de semana.

12 maio, 2016

11 maio, 2016

Pingos sem is...

Quarta...

Para aqueles que não viveram, ou não entenderam o que aconteceu e defendem uma intervenção militar explicaremos alguns detalhes da ditadura militar que estão muito além da repressão.

Primeiro, a desculpa era de proteger o país de um possível governo comunista, surgiu como uma intervenção militar e o que se seguiu foi um governo de exceção, típicos dos governos de esquerda, pois aos amigos o céu, aos inimigos o inferno que durou 21 anos.

Criaram uma estúpida reserva de mercado que atrasou o país, estatizaram tudo que podiam, peguemos o exemplo das teles, todas estatais, para conseguir um telefone só possuindo muito dinheiro.

Nada funcionava sem a anuência do Estado, não havia liberdade de expressão, na escola havia as disciplinas de Moral e Cívica e de Estudos dos Problemas Brasileiros (EPB), que serviam para doutrinar.
Não nos esqueçamos da Censura, que tolhia qualquer chama de criatividade que não “rezasse” pela cartilha governamental.

Criaram o tal milagre de 74, um crescimento maquiado, muito parecido com os reclames petistas atuais.
Controlavam o congresso, a justiça, algo muito parecido com que ocorre com a Venezuela de hoje, o sonho de consumo governamental dos petistas, principalmente poder se locupletar no poder e não ser punido, situação que já perdura por 14 anos.

E para aqueles que idolatram os revolucionários que chegaram ao poder, que alegam que lutavam pela democracia, sinto informar que eram financiados pela União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), treinados em Cuba, tem como ídolo mor Che Guevara, portanto lutavam para tomar o poder, porém longe de ser democrático.
Assim sendo, eram apenas a outra face da mesma moeda.

Para nossa sorte desta vez tudo será resolvido seguindo o processo normal e democrático, embora eles não aceitem, ameacem, assim será e a partir do dia de hoje sairão pela porta dos fundos, com o “rabinho entre as pernas”. Simples assim.