21 junho, 2017

Pitacos chuvosos...

Quarta...

Embora o Gran Capo pense ser inimputável, não o é; é sim o grande mentor, articulador do maio do maior esquema de corrupção de nossa história, muito se desviou deste país desde antes do descobrimento oficial, de pau-brasil a gemas valiosas.

Considero pior agora, desvia-se dinheiro da saúde, da educação, de infraestrutura, não são outros reinados roubando nossas riquezas, são nossos representantes? os autores da proeza, pouco importando se são governo ou oposição com a única missão de locupletar-se.

Temos que tomar cuidado com os aproveitadores de plantão, aqueles que vêm como um discurso fácil, populista, de grande gestor, de defensor da moral e dos bons costumes.
Portanto fiquemos espertos, ou...


Assim caminha a mediocridade...

20 junho, 2017

Ídolo...

Terça...

Ídolo (vem do grego eidólon, e significa 'imagem')
Substantivo masculino
Imagem que representa uma divindade e que se adora como se fosse a própria divindade, fig. pessoa ou coisa intensamente admirada, que é objeto de veneração.

Iniciei com esta definição por que semana passada referi-me ao grande Capo da corrupção do Brasil como ídolo de uma pessoa, a mesma respondeu: “Não é meu ídolo. Essa coisa de idolatrar/odiar é para gente doente. Eu acho que sou uma pessoa mentalmente sã.
Primeiro deixemos claro que não idolatro ou odeio alguém, não por ser não por ser normal, ou por não ser, simples assim, porém sou fã de alguns.

Respeito quem os têm, seja por alguma divindade ou pessoa, não os taxo de doentes, pode-se adorar sem radicalizar, existe diferença entre idolatrar e o extremismo de alguns grupos religiosos, políticos e afins.
Por este motivo que não nos melindramos quando político “A” ou “B” é acusado de corrupção, não o defendemos veementemente procurando no adversário o mesmo problema para justificar o erro do meu. Errou tem que pagar, seja pelo crime que for.

Tem gente que eleva o politicamente correto a patamares estratosférico. Menos, muito menos...

Assim caminha a mediocridade...

19 junho, 2017

Confusão...

Segunda...

Quando se pensa com o bolso, ou age-se sem planejamento com o que rotineiramente ocorre em Elliv Nioj, desta vez até com o apoio da maior rede local de TV, que também demonstrou mais interesse nas notícias, sem momento algum alertar para a confusão anunciada que isto poderia trazer.
Pois vamos aos fatos.

Durante a semana passada ocorreu no feudo uma bela feira cultural, a Feira do Livro, onde a população, principalmente a estudantil, poderia comprar livros conhecer escritores, assistir diversas palestras, etc.
Tudo ia muito bem até que alguém teve a brilhante ideia de realizar um festival de cerveja no estacionamento, nada contra festivais etílicos, embora não frequente, porém devem ser realizados e locais adequados para isso, com, pelo menos, estrutura sanitária, creio não precisar explicar o efeito da cerveja nos rins.

Eis que os sistemas urinário e gástrico resolveram agir, pois alguns dos frequentadores destes festivais não costumam ter limites, bebendo além do limite, que os altera física e mentalmente.

A alteração mental em alguns leva a depressão e a outros a euforia, a física a necessidade de urinar e vomitar, adivinhem onde foram “desafogar”.
Sim, na Feira do Livro, causando tumulto, emporcalhando os banheiros, a tal monta que tiveram que fechar a feiras com duas horas de antecipação.
Os organizadores da Feira do Livro deveriam cobrar dos da Cerveja os prejuízos, e incluir neste processo a alcadia que liberou a feira neste local, havendo muitos outros no feudo.
Inclusive inabilitando o estacionamento da feira, das duas, pois a o local possui poucos locais para estacionar nas ruas.

O interessante e ver que o maior jornal local, pertencente a rede apoiadora do evento, não trouxe um linha sobre este vexame.
Quanto a alcadia, realizar algo sem pensar, sem medir consequências não é novidade, é rotina.

Assim caminha a mediocridade...

P.S.: Esta é uma obra de ficção, qualquer semelhança com a vida real será mera coincidência.

16 junho, 2017

Raviolli

Sexta...

Que tal para este final de semana “una bella pasta fresca”?

Ravióli com recheio de frango
Ingredientes:
350 g de farinha de trigo
3 ovos
50 ml de água
Sal
350 g de peito de frango sem osso pré-cozido
70 g de queijo parmesão ralado
2 gemas de ovo batidas
½ colher de chá de raspa de limão
½ colher de chá de noz moscada ralada
Preparo:
Massa
Bata os ovos com a água.
Coloque a farinha em uma tigela, faça uma cova no meio e acrescente a mistura anterior e adicione uma colher de chá de sal
Misture bem.
Coloque a massa sobre uma superfície enfarinhada e trabalhe-a durante pelo menos 10 minutos, ou até desgrudar das mãos
Com o rolo da massa, estique o mais fino possível.
Recheio
Desfie o frango, coloque numa tigela e misture com o queijo, as gemas, a raspa de limão e a noz moscada, acerte o sal.
Montagem
Em metade da massa coloque porções deste preparado em espaço regulares (4 cm aprox.), estique a outra parte da massa e cubra o preparado anterior.
Corte no formato que desejar.
Cozinhe em uma panela funda com água fervente e um fio de óleo durante 10 minutos, ou boiar.
Retire com uma escumadeira e coloque em uma travessa.
Sirva quente com o molho de sua preferência.
Experimente com molho bechamel e queijo emmental ralado.


Bom final de semana

14 junho, 2017

Chuvas e trovoadas...

Quarta...


Hoje não é dia de tirinha, porém esta explica muita coisa, inclusive porque nosso povo é tão passivo diante da corrupção, inclusive por que alguns defendem com tanta veemência o grande “Capo”.


13 junho, 2017

Dikhotomía...

Terça...

A dicotomia é uma característica dos lulopetistas muito evidente, embora a grande maioria deles nem saiba o que esta palavra significa, porém está presenta há muitos anos em suas atitudes. Explico.

No governo do FHC as privatizações eram taxadas de crime contra o país nos governos deles o nome mudou para concessões e virou a salvação, promoveram privatizações de aeroportos, portos, ferrovias, rodovias, etc., só não aceitaram privatizar os bancos federais e a Petrobrás por motivos óbvios.

Quando o PSDB solicitou a cassação da chapa Dilma/Temer, antes do impeachment, era tentativa de golpe, após o mesmo tornou-se o retorno à democracia. Mesmo o impeachment, contra o Color era legal, contra a Dilma ilegal, contra o Temer legal.
Inclusive não admitem que votaram duas vezes no Temer, se não notaram, a foto dele estava lá, ao lado da sua “ídala” (usei a lógica linguística dela).

Não nos esqueçamos da corrupção, enquanto não estavam no poder a abominavam, uma vez lá a tornaram rotina, modus operandi de seu governo.

Talvez um dia olhem no espelho e se assuntem com o que veem, embora duvide que isto ocorra.


Assim caminha a mediocridade...

12 junho, 2017

Greve..

Segunda...

Elliv Nioj passa pela sexta greve de servidores e apenas 8 anos, infelizmente quem realmente “paga o pato” é a população, ou seja, os últimos alcaides, apesar dos discursos, não estão nem um pouco preocupando com os servidores e com a população.

Como sabem, não sou favorável a greves, prefiro o diálogo, a apresentação de soluções, deixando-a como último recurso, o problema que vem perdurando entre alcadia e sindicato é a total falta do tal diálogo, ambas entidades mantém posturas burras de não negociar o proposto, um bem abaixo do esperado e o outro com valores (mesmo que justos) utópicos.

Pior é ver servidores que votaram na reeleição do atual alcaide reclamando, incentivando a greve, “pastaram” 4 anos nas mãos dele e quiseram continuar, pois então que não reclamem, ou como diz o velho ditado, vão chorar na cama que é lugar quente.

É sabido que, com raríssimas exceções, o segundo mandato do qualquer cargo executivo é pior que o primeiro, tendo sido o primeiro pífio o que esperavam do segundo? Um milagre?
Sinto informar que só conseguirem mais do mesmo com requintes de inferno astral.

Deixo uma sugestão, conversem com os nobres edis e solicitem uma lei que garanta o reajuste da inflação, assim os alcaide não poderão negar.
É, pensar deve doer o cérebro.

Assim caminha a mediocridade...

P.S.: Esta é uma obra de ficção, qualquer semelhança com a vida real será mera coincidência.

09 junho, 2017

Sexta...

Por que não uma receita com um toque ” français”?

Carne à francesa
Ingredientes:
1 cebola picada
100 g de bacon picado
3 colheres de sopa de manteiga
1 kg de peito de gado cortado em cubos
25 g de farinha de trigo
350 ml caldo de carne
350 ml de vinho tinto
Sal
Pimenta 
2 folhas de louro
1 colher de sopa de tomilho picado
100 g de champignon
Preparo:
Doure a cebola e o bacon na manteiga.
Retire o bacon e a cebola. Reserve.
Ponha a carne na panela e doure-a na mesma gordura que fritou o bacon.
Espalhe a farinha de trigo por cima, misture e deixe dourar.
Adicione o caldo de carne.
Junte o bacon e a cebola reservados.
Acrescente o vinho.
Tempere com mais sal, pimenta, o louro e o tomilho.
Cozinhe em fogo baixo por duas horas.
Adicione o champignon e cozinhe por mais 30 minutos antes de servir.


Bom final de semana.